(021) 3586-5175      contato@fabianoleal.com.br    |   

O que é o líquen plano ungueal?

Líquen Plano Ungueal (LPU) é uma doença inflamatória das unhas. Pode estar presente em associação ao Líquen Plano da pele e mucosas, ou acometer apenas as unhas. Atinge estruturas importantes da unidade ungueal como matriz e leito ungueais, provocando onicodistrofias de graus variados podendo chegar a alterações permanentes e irreversíveis se não for tratado a tempo.

As causas não estão ainda completamente esclarecidas, mas algumas hipóteses incluem origens imunológica, psicogênica e neurológica. Há também os fatores de risco, que incluem exposição a metais pesados; histórico de hepatite, ansiedade e depressão.

É de acometimento universal, sendo mais frequente após a terceira década de vida, podendo atingir crianças ou idosos. As unhas das mãos são mais acometidas que as dos pés e a doenaça pode apresentar uma evolução variável, dependendo do momento diagnóstico.

Os achados físicos dependem do sítio afetado pelo processo patológico.

Matriz: responsável pela produção da placa ungueal que se mostra mais fina, com estrias paralelas e fendas distais. Frequentemente se observa vermelhidão ou eritema em região de lúnula (meia lua da unha), perda da função da matriz em produzir a placa ungueal (anoníquia).

Leito ungueal: descolamento; pontos hemorrágicos; alteração da cor marrom ou vermelho, negras ou até esverdeadas; fragmentação e erosão da placa ungueal, retração e atrofia do leito ungueal.

Pele ao redor das unhas: presença de cicatriz na região de dobra proximal onde há cutícula, dividindo assim a unha em 2 fragmentos (pterígio dorsal), perda dos limites das dobras laterais e do sulco distal.

Como a evolução da doença é rápida e agressiva, o tratamento deve ser feito o mais rápido possível depois do diagnóstico.

Não tratar o LPU pode resultar em cicatriz permanente da unha e até na perda completa da placa ungueal.

O tratamento preconizado é o corticoide, considerado como “padrão ouro” e pode ser feito como tratamento local, intralesional, intra muscular e até oral, dependendo de cada caso.

Outras opções incluem retinóides orais, azatioprina, tacrolimus e terapia biológica

A prevenção inclui, principalmente, visita regular ao dermatologista. Não deixe de agendar uma consulta diante de qualquer alteração física da unha.

Fonte: SBDRJ

03 de Setembro de 2020